Acredito que o ativismo é um exercício de consciência, para que possamos trabalhar juntos e cultivar uma sociedade mais justa e respeituosa das diversidades, honrando a dignidade de todos os seres. Existem vários caminhos para isso: a arte, a educação, as relações políticas e sociais, assim como nossa busca por uma compreensão mais profunda do universo.

 

Estas são algumas propostas de atividades que podemos desenvolver juntos, com pessoas e grupos diversos em escolas, universidades ou na rua. Entre em CONTATO para mais informações.

+

I believe that activism is an exercise of conscience, so that we can work together and cultivate a more just and respectful society of diversity, honoring the dignity of all beings. There are several paths to this: art, education, political and social relations, as well as our search for a deeper understanding of the universe. These are some proposals of activities that we can develop together, with people and diverse groups in schools, universities or in the street. Contact us for more information. 

 

(Daiara Tukano Activities English version – download

Povos indígenas: diversidade, luta e contextos:

Bate papo sobre a diversidade indígena no Brasil, sua história e contextos atuais.

Quantos povos indígenas existem, onde vivem e qual a sua realidade hoje?

Convidamos a conhecer um pouco mais sobre o panorama indígena atual para construir alianças, e incentivar a criar estratégias e ações que possam contribuir à proteção da natureza, da diversidade cultural e dos direitos humanos.

Violações de Direitos Humanos contra os povos indígenas no Brasil:

Panorama de violação aos direitos indígenas no Brasil, apresentando breve histórico das políticas indigenistas e as violações apresentadas nos relatórios de direitos humanos. Aborda as violações contra os direitos individuais e coletivos, assim como os direitos culturais, patrimônio material e imaterial e a omissão do estado.Breve histórico do movimento indígena brasileiro e suas estratégias de defesa e construção dos direitos.

A questão indígena no ensino: implementando a Lei 11.645/2008.

Palestra/oficina para educadores.Educação em direitos humanos e cultura de paz. Como o indígena é apresentado no ensino fundamental, médio e superior? Combatendo estereotipos na sala de aula. Multidisciplinaridade e transversalidade da questão indígena no ensino. Referências indígenas na educação. Oficina de criação de material pedagógico.

Pensamento indígena: cosmovisões contemporâneas.

Palestra: Breve introdução sobre pensadores indígenas contemporâneos, escritores, historiadores, filósofos e figuras políticas. Discussão sobre paradigmas epistemológicos, colonialidade, decolonialidade e contracolonialidade. Indígenas nas universidades; o direito à memória e verdade dos povos indígenas como estratégia de mudança de paradigmas, dentro e fora da academia, para a construção da cultura de paz.

Culturas indígenas em movimento: intercâmbios e apropriação cultural:

Debate sobre apropriação cultural como um processo colonial. Como construir trocas respeituosas com os povos e comunidades indígenas? Protagonismo indígena e patrimônio cultural material e imaterial. Estratégias de resistência cultural e fortalecimento da identidade indígena.

Arte indígena contemporânea:

Roda de conversa: Panorama da produção artística indígena contemporânea: artes visuais, música, poesia, literatura e cinema. Arte como militância para o fortalecimento cultural e a luta dos direitos indígenas.

Mostra de artes visuais:

Exposição de obras de Daiara Tukano, pinturas, desenhos e fotografias.

Conversa com a artista sobre seu trabalho, referências e processo poético.

Intervenções urbanas:

a) Intervenções artisticas na cidade com projeção em videomapping de fotos e desenhos ao vivo.

b)Pintura Mural, graffiti art: com participação de colaboradores locais.

Vivência artística:

Artivismo para a defeza dos direitos humanos e da natureza:

Voltado a artistas plásticos, conversas e trocas artísticas, compartilhamento de referências sobre a questão indígena atual, no intuito de estimular a criação artística engajada com a defesa do meio ambiente e da diversidade cultural dos povos indígenas.

Roda de cantos indígenas:

Apresentação da Rádio Yandê, primeira web-radio indígena do Brasil; diversidade musical indígena contemporânea e breve apresentação de cantos tradicionais de diversos povos indígenas brasileiros com participação do público.

Espiritualidades indígenas: Sabedorias ancestrais na contemporaneidade em conexão com o planeta.

Conversa sobre a diversidade cultural das espiritualidades indígenas, o fortalecimento espiritual, medicinas sagradas, filosofias indígenas e intercâmbios contemporâneos na contemporaneidade. Debate sobre neoshamanismo e os desafios da globalização.

Cinedebate: luta indígena no Brasil.

Pequena Mostra de filmes brasileiros sobre a luta do movimento indígena brasileiro, seguida de debate.